segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Suave Veneno


Esse suave veneno que brilha nos teus olhos

É como sangue doce a fervilhar,

Que quebra o encanto dos meus sonhos

E põe o meu coração a palpitar.


Coração esse, palpita num corpo morto

Que poderá um dia ressuscitar

Se esse teu suave veneno

Um dia lhe ousar tocar.


Com a sua singela frieza cor de mármore,

Frieza essa que usas para poder sentir-te

Nas noites em que não viverei sem ti.


Trazes esse teu suave veneno contigo,

Para adormecer no meu leito comigo

Só assim renascerei e morrerei em ti.

2 comentários:

Tânia Souza disse...

Ah, não há como resistir a intensidade de um olhar, que pode dar a vida e também pode tomá-la!

fernando morgan disse...

muito bom o seu blog o melhor que ja vi
falo serio!
bjos e tenha uma boa noite