sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Os olhos


Os olhos verdes da amargura

São como rubis ao luar,

Que durante a noite escura

Brilham de tanto chorar.


A ti estes olhos te pertencem

E é este triste o sentimento

Que eles veêm, e não mentem

Ao dizer que o amor é um tormento.


São vazios os olhos verdes,

Não têm doçura nem maldade,

Mas por eles,

Escorre a eterna saudade.

1 comentário:

Corina de Oliveira disse...

O teu blog é fantástico! Adoro as imagens que colocas, são lindas!

Se quiseres passa pelo meu espaço:

http://o-meu-reino-da-noite.blogspot.com/

Diz o que pensas ;)