segunda-feira, 30 de junho de 2008

Auto-retrato











São dos meus olhos lacrimosos





Que saem meus medos e mágoas.





E dos meus lábios gelados





Saem dolorosas palavras.










Da minha face gelada





Escorregam sombras negras e pesadas,





Fruto de vozes silenciosas





Vindas de uma pessoa amada .










É esta a minha alma misteriosa





Tão perdida , tão lacrimosa





Que sofre por quem possui ignorância e não certeza.










Que essa medíocre sociedade





Tenha um pouco de piedade





Por quem é prisioneira da sua própria beleza.

3 comentários:

LAGRIMAS DE UM POETA disse...

Muito bom o seu poema, gostei da menira da qual voce se expressa entre as linhas do seu poema.

ps: Adoro suas fotos de cemiterios, muito bela a sua arte

†Nina lunardi † disse...

Me indetifiquei muito com o seu blog é Tão morbido...È fantastico, facinante.

Sou membro a muito pouco tempo e não sei utilizar todos os recursos do blog.
Mais as imagens que vc usa são imagens ou que eu tenho, ou que eu verdadeiramente gostaria de possuir...Adoro fazer amigos que se espressão com esse tipo de linguagem...em poesias, e passa toda essa emoção, para quem a le...mande para mim... Seu orkut e msn...Ficaria encantada em ter...alguem como vc ..como...friend...hehe.

carolline.luna90@hotmail.com

J. Raimundo disse...

boas fotos... ;)