segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Rochedo


Monte de pedra fria,

Onde o mar arrebenta.

São lágrimas da minha agonia

São palavras da dor sedenta.

É a força de quem suporta o mundo,

É falar e louvar o silêncio,

Conseguir parar o mundo num segundo

Para consolar quem soluça imenso.


É enfrentar barreiras de espinhos,

Lutar contra o fogo para obter carinhos,

Abraçar almas despedaçadas.


Mas para quê ser tudo se não se é nada

Pois não há rochedo para esta naufragada

Que morre afogada nas suas lágrimas.

2 comentários:

Blood Tears disse...

Há tantos rochedos nesse amr imenso onde tantos se afogam nas suas lágrimas.... Eu sou uma delas e o teu poema comoveu-me imenso....
Obrigada

morenita_inlove disse...

amei este poema, assim como amo todos os k tu escreves...
se eu te pedir para escreveres um poema pa mim tu escreves??
lol

Fica bem